World Community Grid

Buscapé

Compare Produtos, Lojas e Preços

quarta-feira, 18 de julho de 2007

Igrejinha


Springtime in the Country - Alice Kent Stoddard
Ao longo se via a ponta da igrejinha. Num verde clarinho e límpido. Eu imaginava os cultos religiosos, freqüentado por moçoilas de saias compridas, estampadas e de pano. Simples.

O cenário me remetia a tempos anteriores.

Era uma moça em especial, ainda permanecia, vingava em minha mente, desde o longínquo passado. A menina me chamou a atenção. Ela, naqueles instantes pretéritos estava voltada à religião de forma definitiva. Mas, graças, isso só fora nos momentos de outrora.

Bonita aos meus olhos, o pensamento ia longe. Queria afagar-lhe a nuca, massagear seus cabelos e beijar suavemente seu pescoço. Iria buscar os ouvidos para lhe cochichar juras de amor.

Traços finos, nariz comprido, pele branca com sinais de Sol, boca grande, lábios finos, olhos esverdeados, sobrancelhas naturalmente bem delineadas. Longas madeixas, lisas e brilhantes, pele fina e pescoço longo e convidativo a uma carícia. Descrita minha musa.

Sorte minha que aquela adolescente não seguiu os caminhos religiosos.

A tenho e a quero para sempre.

Um comentário:

carla granja disse...

olá Carlos! adorei essa forma de dizeres o kuanto amas a mulher da tua vida. um dia kuando tiver apaixonada e ainda fizer o meu blog tmb vou tentar fazer um belo poema ao homem da minha vida. sbs! no sabado o rapaz mais lindo k eu já vi na minha frente mandou entregar uma rosa vermelha para mim, não sei se isso significa algo pq depois falei com ele para lhe agradecer a rosa e palavra puxa palavra ele disse k não keria voltar a se apaixonar,mas já fico feliz por o ter como amigo.
kuando puderes dá uma olhada no meu contraste e diz se gostas deste ultimo poema k fiz. bjos
carla granja.